19/06/2024 +55 (83) 988111301

Manchetes

Nova vacina contra a covid-19 será aplicada a partir de segunda-feira em Palmas

.

Por Jr Blitz 25/05/2024 às 17:39:40
Imunizante Spikevax é do laboratório Moderna e as doses da Pfizer e Coronavac não serão mais administradas, segundo a Semus. Imunizante Spikevax é do laboratório Moderna

Luciana Pires/Secom Palmas

A população palmense será imunizada com a nova vacina contra a covid-19 a partir de segunda-feira (27). O imunizante é produzido pelo laboratório Moderna e as doses da Pfizer e Coronavac não serão mais administrados.

A informação foi divulgada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Palmas. De acordo com a pasta, a vacina se chama Spikevax e é uma versão atualizada, que protege contra uma variante da doença, a Ômicron XBB .

Com a mudança de imunizante, haverá mudanças de atendimento do público-alvo. Para crianças de seis meses a quatro anos que não tiver recebido nenhuma vacina contra a covid, deverá tomar duas doses, com pelo menos quatro meses de intervalo entre as aplicações.

LEIA TAMBÉM:

Campanha tem meta de vacinar mais de 140 mil crianças contra a poliomielite no Tocantins

Veja quem pode se vacinar contra Covid-19 no Tocantins

Público-alvo é ampliado e adolescentes até 14 anos podem receber vacina contra a dengue

No caso de já ter tomado uma ou duas doses da Pfizer baby e/ou Coronavac, vai precisar completar o esquema original de três doses.

Se tiver apenas uma dose anterior, terá que tomar duas da Spekevac, respeitando o mesmo intervalo de quatro meses entre as doses. No caso de duas doses anteriores, deverá tomar uma da Spikevax.

As crianças que já tem o esquema vacinal completo com três doses, poderá tomar uma dose da vacina da Moderna, após espaço de, no mínimo, três meses da última dose.

Para crianças na mesma faixa de idade e que sejam imunicomprometidas, as orientações são as mesmas.

O fabricante ainda recomenta uma dose anual para quem faz parte de grupos prioritários que incluem trabalhadores da saúde; pessoas vivendo em instituições de longa permanência e seus trabalhadores; pessoas com comorbidades; com deficiência permanente; privadas de liberdade; pessoas em situação de rua; Indígenas, quilombolas e ribeirinhos; entre outros.

Já as pessoas que fazem parte de grupos prioritários específicos, e que tenham a partir dos cinco anos de idade (idosos a partir de 60 anos, gestantes, puérperas e imunocomprometidos), a orientação é que seja aplicada uma dose a casa seis meses. Se tiver tomado doses de outro laboratório, é preciso respeitar o prazo de pelo menos três meses entre as aplicações.

Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1

Comunicar erro
Comentários

Queremos Saber!

Qual seria seu candidato para prefeito de Bayeux ?