20/04/2024 +55 (83) 988111301

Mundo

frente portal

Essequibo: Maduro afirma que bases militares dos EUA foram instaladas em área disputada com a Guiana

.

Por Jr Blitz 04/04/2024 às 02:36:50
Presidente venezuelano disse que norte-americanos preparam uma escalada contra o país. Maduro promulgou lei que cria província da Venezuela em território da Guiana. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante cerimônia no Parlamento em 3 de abril de 2024

Presidência da Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira (3) que "bases militares secretas" dos Estados Unidos foram instaladas em Essequibo, uma região rica em petróleo que Caracas disputa com a Guiana.

? Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp

"Temos informação comprovada de que, no território de Guiana Essequiba, administrado temporariamente pela Guiana, instalaram bases militares secretas do Comando Sul, núcleos do Comando Sul e núcleos da CIA", disse o presidente venezuelano.

Segundo Maduro, as bases foram concebidas "para preparar agressões às populações do sul e do oriente da Venezuela, e para se preparar em uma escalada contra a Venezuela".

Maduro promulgou, nesta quarta, a Lei Orgânica para a Defesa da Guiana Essequiba. O texto foi redigido depois de um referendo, realizado em dezembro de 2023, para ratificar a soberania sobre o território reclamado pela Venezuela há mais de um século.

A lei contemplava a criação do estado de Guiana Essequiba, que deve ser governado da cidade de Tumeremo. O município fica no estado venezuelano de Bolívar, a cerca de 100 quilômetros de Essequibo.

"O presidente Irfaan [Ali] não governa a Guiana. A Guiana é governada pelo Comando Sul, a CIA e a ExxonMobil, e não estou exagerando. Controlam o Congresso, dois partidos que fazem maioria, governo e oposição, controlam totalmente as forças de defesa guianesas, as forças policiais", disse Maduro.

Após a aprovação da lei, em 21 de março, a Guiana expressou "grave preocupação" ao considerar que incorre em uma "violação flagrante de sua soberania".

A disputa centenária pelo Essequibo recrudesceu em 2015, após a descoberta de reservas petrolíferas pela companhia americana ExxonMobil.

As tensões, que suscitaram preocupação regional por uma eventual escalada, se acentuaram após o referendo.

Duas semanas depois da consulta, os presidentes Ali e Maduro se reuniram em um primeiro tête-à-tête, no qual ambos os governos concordaram em não realizar ameaças, nem utilizar a força para resolver a disputa.

Em março deste ano, Maduro e Ali participaram de um encontro da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) em São Vicente e Granadinas, onde o venezuelano insistiu em uma "solução pacífica".

Venezuela aprova anexar território da Guiana

Reprodução

VÍDEOS: mais assistidos do g1

Fonte: G1

Comunicar erro
Comentários

Queremos Saber!

Quem você acha que é, o verdadeiro rato da prefeitura de Bayeux.