19/04/2024 +55 (83) 988111301

Mundo

frente portal

Governo brasileiro condena ataque a consulado iraniano na Síria e pede 'máxima contenção'

.

Por Jr Blitz 03/04/2024 às 22:05:17
Governo iraniano atribuiu a Israel a autoria do ataque ao prédio e pediu responsabilização no Conselho de Segurança da ONU. Itamaraty pediu respeito a representações diplomáticas. Consulado do Irã na Síria é alvo de ataque

O Ministério das Relações Exteriores brasileiro divulgou nesta quarta-feira (3) nota condenando o ataque realizado na segunda-feira (1) ao consulado do Irã em Damasco, capital da Síria.

O ataque destruiu o prédio e causou a morte de Mohammad Reza Zahedi, comandante sênior da Guarda Revolucionária iraniana, além de outros sete membros da guarda, incluindo dois outros comandantes. As informações são da mídia estatal iraniana.

O comandante das forças terrestres da Guarda Revolucionária do Irã, Mohammad Reza Zahedi, em imagem de arquivo.

Reprodução/ Redes sociais

O ataque aumentou as tensões na região. Em comunicado ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), o governo iraniano atribuiu o ataque ao governo de Israel, chamou o ato de "terrorista" e pediu que o governo de Benjamin Netanyahu seja responsabilizado pela ação.

Já o presidente do Irã, Ebrahim Raisi, afirmou na terça-feira (2) que o ataque "não ficará sem resposta".

Israel não assumiu oficialmente ter sido responsável pelo ataque, mas fontes do governo do país ouvidas pelo jornal americano "The New York Times" confirmaram a autoria do ato.

'Máximo de contenção''

Na nota, o governo brasileiro condenou o ataque, "que provocou mortes e ferimentos entre funcionários diplomáticos e consulares" e pediu respeito ao "princípio da inviolabilidade das representações diplomáticas e consulares" previsto em convenções internacionais.

Local de prédio destruído em Damasco, na Síria, em 1º de abril de 2024

Omar Sanadiki/AP

"O governo brasileiro lembra, ademais, que o respeito à soberania e à integridade territorial dos países é princípio basilar da Carta das Nações Unidas e exorta todas as partes envolvidas a exercerem o máximo de contenção", diz o documento.

O Itamaraty também manifestou preocupação com "a disseminação de focos de hostilidade na região, que podem resultar em consequências graves e imprevisíveis para a estabilidade no Oriente Médio."

Fonte: G1

Comunicar erro
Comentários

Queremos Saber!

Quem você acha que é, o verdadeiro rato da prefeitura de Bayeux.