Blitz Paraiba

leia mais:

Neymar se tornou apenas uma peça cara de decoração ao trocar o Barcelona pelo PSG

Neymar é um talento, não há dúvidas sobre isso. Mas ele não está brilhando no PSG. Parece entediado, desinteressado.

55

Por 82 minutos da derrota do Paris Saint-Germain por 3 a 2 para o Liverpool, pela Champions League, a única palavra que poderia descrever a atuação de Neymar seria “periférico”.

 O jogador de 222 milhões de euros sempre parecia ameaçador quando se envolvia em jogadas, mas pouco conseguiu fazer até que, oito minutos antes do final do jogo, ele aproveitou um passe errado de Mohamed Salah e arrancou para a área rival, antes de deixar a bola com Kylian Mbappé, que tirou de Alisson e empatou o jogo em 2 a 2.

É o tipo de lance que se espera de um grande jogador – decisivo e fazendo o adversário pagar -, mas a desconfortável realidade é que foi a única contribuição do brasileiro no jogo.

Na maior parte do jogo, ele parou no bloqueio vermelho, normalmente representado por James Milner ou Jordan Henderson, que não se assustaram com o status de superestrela de Neymar. O atacante de 26 anos flutuou no campo de ataque, ficou demais com a bola na maioria das vezes e caiu para a lateral do campo, ocupando uma posição que pouco preocupava os jogadores de Jurgen Klopp.

Neymar é um talento, não há dúvidas sobre isso. Mas ele não está brilhando no PSG. Parece entediado, desinteressado.

Seus fãs vão dizer que ele é eficiente na Ligue 1 – já marcou quatro gols em quatro jogos nesta temporada, 19 em 20 na última -, mas o PSG investiu alto para tirá-lo do Barcelona pela sua habilidade de fazer a diferença em noites importantes de Champions League. Ainda estamos esperando isso acontecer.

Foi, sim, o primeiro jogo do grupo C, então Neymar e o PSG ainda têm muito tempo para melhorar e dominar – não apenas o grupo, mas a Champios League.

Neymar é bom o bastante para isso, mas a defesa do PSG sugere que o time pode falhar mais uma vez. E, talvez, seja este um problema para o jogador mais caro do mundo. Ele sabe até onde o time pode chegar, independentemente dos atos heroicos que ele pode ter no ataque.

No Barcelona, Neymar sabia que estava jogando por um time forte o bastante em todos os setores para vencer a Champions League, assim como fizeram em 2015. Mas no PSG, ele é apenas uma peça cara de decoração.

A única boa notícia para Neymar é a presença de Mbappé ao seu lado, colocando toques finais em seu brilho – assim como o jovem francês fez no segundo gol do PSG em Anfield.

Os dois são bons o bastante para o PSG e para a Ligue 1, mas enquanto Mbappé ainda está se desenvolvendo e aproveitando as oportunidades que tem para jogar no mais alto nível, Neymar já viajou pela estrada que seu jovem colega de time acabou de pegar. Mbappé encontra motivação facilmente, mas Neymar não, e as frustrações de jogar em um PSG que não consegue encarar os melhores times da Europa para estar incomodando o brasileiro.

E sobre sua contribuição defensiva, melhor falarmos pouco – principalmente depois do drible que levou ao tentar marcar Sadio Mané no primeiro tempo.

No Barcelona, Lionel Messi e Luis Suárez reclamaram algumas vezes durante jogos pelas decisões tomadas por Neymar, principalmente por segurar muito a bola. Mas ele se livrava dos problemas no Camp Nou, pois tinha um time bom o bastante para compensar suas falhas. Mas no PSG, as mesma falhas aparecem ainda mais, porque todos estão esperando que Neymar faça a diferença.

De novo, Mbappé ajuda Neymar por ser o cara que pode completar suas jogadas. Mas apesar do francês estar destinado a se tornar uma das maiores estrelas do futebol, o brasileiro ainda é o grande nome do PSG e precisa fazer mais do que tem feito, principalmente em torneios continentais.

Grandes jogadores precisam ser desafiados constantemente, seja por rivais ou colegas de time – mas isso não está acontecendo com Neymar em Paris. Talvez ele precise voltar para LaLiga ou ir para a Premier League para ser testado semanalmente, não apenas às vezes na Champions League.

Ficar na França vai fazer com que ele aceite ser o segundo melhor e, aos 26 anos, ele deveria estar chegando ao seu auge com vontade de deixar Mbappé para trás e assumir o topo. Mas isso não parece acontecer agora, e ficou tudo claro em Anfield.

Ele não está alcançando seu melhor nível no PSG. Depois de todos os elogios que receberam quando contrataram Neymar, os parisienses ainda estão devendo.

ESPN/Blitzparaiba

0 Comentários

Deixe o seu comentário!