Blitz Paraiba

leia mais:

Parque Cultural Casa da Pólvora traz dança e teatro

Apresentações são abertas ao público de todas as idades e têm início às 19h30

44

Teatro e dança movimentam o Parque Cultural Casa da Pólvora nesta terça-feira (27), no Centro Histórico de João Pessoa. As apresentações são abertas ao público de todas as idades e têm início às 19h30 com o espetáculo Íranti da Companhia de dança Lunay.

O espetáculo é uma imersão nas memórias e percepções com a intenção de provocar êxtase na experiência do espectador e dos dançarinos. A professora e diretora do espetáculo, Kilma Farias, explicou que a apresentação faz o espectador dialogar sobre um lugar negligenciado e fragilizado ao longo de décadas, que é a capacidade feminina de amor, poder e independência.

O roteiro do espetáculo foi desenvolvido em meio ao processo de construção por todas as integrantes do grupo que são: Kilma farias, Jaqueline Lima, Lia Jost, Yolanda Cavalcante, Gabriela Parente, Verônica Alves e Rayssa Melo. O grupo está junto há 15 anos dando forma por meio de corporeidades da dança e do resgate do feminino essencial, completo e profundo.

Alegria dos Náufragos

A segunda atração desta terça-feira (27) é o espetáculo Alegria dos Náufragos, que consiste em uma montagem fruto do diálogo do grupo com o conto russo Anton Tchekhov (1860 – 1904), ‘Uma história enfadonha’. A montagem é uma tentativa de estabelecer pontes entre esse discurso literário de mais de um século e meio com contundentes questões de nossa própria época.

Os atores incidem, sem concessões, sobre o presente e a geografia, não livrando nem a si mesmos deste crivo com doses generosas de acidez e humor, provocando uma inevitável análise sobre si mesmo. “Nesse espetáculo o que importa não é a glória, mas a capacidade de suportar”, revelou o ator Thardelly Lima.

Na montagem estão os atores Cely Farias, Rafael Guedes, Thardelly Lima (atores), César Ferrario e Giordano Castro (provocadores), e César Ferrario, Giordano Castro (dramaturgia). A direção musical é de Marco França, o desenho de luz é uma composição do grupo “Ser Tão Teatro”, o figurino de Vilmara Georgina, cenografia e adereções de Maria Botelho, sonografia de Polly Barros e fotografia de Eunildo Rocha e Marina Cavalcante.

Malcriadas

O terceiro espetáculo da noite é a comédia ‘As Malcriadas’ da Companhia de Teatro Argonautas. O espetáculo é uma livre adaptação do clássico de autoria de Jean Genet, “As Criadas”, que tinha o objetivo de explorar por meio do cômico a construção do humano e o seu constante desejo de liberdade.

As Criadas foi representada pela primeira vez no ano de 1947 e fazia uma crítica a moral burguesa da época e a hipocrisia das estruturas sociais daquele ano. No texto original, a dupla de Criadas se diverte a imitar e a criticar a madame, planejando seu assassinato para ficar com tudo dela. Este jogo de preconceitos e submissão, tão presentes em nossos dias, são trazidos com muita diversão neste espetáculo.

No elenco estão Tapeba do Cuminho, Madenusa Furacão, Solange e Maria Dubu, personagem existente neste gênero teatral há mais de 12 anos.

SERVIÇO:
Pólvora Cultural
Atrações: Cia de Dança Lunay (Íranti), Alegria dos Náufragos e As Malcriadas
Terça-feira (27)
Hora: a partir das 19h30
Local: Parque Cultural Casa da Pólvora – Centro Histórico
Entrada gratuita
Classificação livre

Portal Correeio/BlitzParaiba

0 Comentários

Deixe o seu comentário!